1099639062-marketing-digital

Os 4 erros mais comuns ao fazer Marketing Digital, e como fazer certo!

Por: Welington Sousa / Adnews.com.br

O marketing digital e suas ferramentas têm como objetivo impulsionar marcas no meio online, gerando vendas, engajamento e até mesmo ampliando o número de visitas em um site. No entanto, parte do investimento nesta área pode ser desperdiçada devido à falta de conhecimento na hora de utilizar cada recurso existente no mercado.  Não se trata de um bicho de sete cabeças, mas o aprofundamento é essencial para ter êxito nas ações realizadas. Em cima disso, veja abaixo os quatro erros mais cometidos e as dicas para não cometê-los:

Erro 1: Comprar base de e-mails

Muitas marcas ainda buscam listas prontas de e-mail para fazer divulgações. Mas no momento digital em que vivemos essa opção vai na contramão de uma comunicação cada vez mais personalizada e assertiva, além de invadir a privacidade dos usuários que não permitiram receber tais comunicações. Isso tudo pode ficar ainda pior quando o remetente é denunciado como spam, gerando má reputação e queimando o IP utilizado. Para finalizar, o consumidor clica no opt-out e vai embora para sempre.

Como acertar?

A melhor forma de adquirir uma boa base de e-mail é construir estratégias para capturar o lead da forma correta, por meio de ofertas, e-books, conteúdos exclusivos e/ou pedindo o login via e-mail ou Facebook, por exemplo. Essa é a forma mais apropriada para garantir que o cliente deseja mesmo ser impactado pela marca, gerando assim o engajamento almejado, além de manter uma boa reputação.

Erro 2: Comunicações blast

Infelizmente, a maioria das marcas ainda se comunica com todos os clientes da mesma forma. Em algumas oportunidades até vale enviar a mesma comunicação para toda a base de e-mails, mas somente se for algo extensivo e relevante a todos. Entretanto, não faz sentido enviar uma promoção de biquínis para um homem, por exemplo. A palavra de ordem deve ser personalização.

Como acertar?

É muito importante tratar os clientes de forma segmentada, cada qual com as suas preferências destacadas. Indico sempre personalizar os documentos HTML, campanhas para as redes sociais, mensagens de SMS e etc.

Erro 3: Não fazer testes

Diversas marcas acreditam que conhecem tão bem seus públicos-alvo que acabam colocando no ar campanhas sem testarem ao menos uma vez. E o que acontece na maioria das vezes? O insucesso, já que cada público possui características peculiares e somente por meio de testes é possível ter mais certeza sobre qual abordagem funciona melhor.

Como acertar?

Para identificar as motivações de compra, cores ou promoções mais atrativas, realize testes A/B, que são os mais conhecidos e eficientes do mercado. Selecione uma parte do público, divida-o e aborde utilizando diferentes variáveis. O teste que apresentar melhor performance se confirma como a opção mais assertiva.

Erro 4: Não analisar os indicadores

É notável que alguns e-commerces ainda não aproveitam suas bases de dados para recomendar os produtos baseados nas preferências dos clientes. Um deslize comum é a falta de monitoramento dos indicadores que avaliam performance nas estratégias aplicadas. Ter a ideia de uma campanha, fazer o layout e enviar não é o suficiente.

Como acertar?

É preciso medir diariamente as regras de relacionamento e acompanhar as métricas de cada canal. No e-mail, por exemplo, contamos com as taxas de abertura e números de cliques. Nas redes sociais, com as impressões – que são as métricas oferecidas por esses canais para identificar quantas vezes uma mensagem foi impressa, já que o mesmo usuário pode fazer isso mais de uma vez –, além de engajamento, conversões e etc. O importante é ter sempre os números atualizados nas mãos para planejar novas ações.

Quer acertar sempre? Fique de olho nas tendências!

Por meio das novas tecnologias de recomendação, como por exemplo, abandono de carrinho e navegação, é possível acompanhar todo o comportamento e trajetória do usuário no site.  Também conseguimos identificar os interesses, preferências e hábitos para oferecer os produtos certos na hora certa, aproveitando o que de melhor cada canal (e-mail, social, push, SMS, etc) oferece.

Tags: marketing digitalartigotendências

 

 

Cropped image of a woman working on  laptop

8 cursos online para aprender aquilo que a faculdade não ensinou

Via:Exame 

Uma boa graduação, repleta de leituras e experiências, costuma ser o primeiro passo para uma carreira de sucesso. Ainda assim, a faculdade deixa de ensinar muitas competências exigidas pelo mercado de trabalho

Como funcionam os mecanismos de uma negociação? Como analisar um problema e encontrar soluções criativas para ele? Qual é o segredo para um trabalho em grupo realmente eficiente? Como aprender melhor e mais rápido?

Embora temas dessa natureza raramente apareçam na lousa de uma universidade, não faltam cursos online que abordam esses assuntos em profundidade. Frequentemente gratuitas, as aulas podem ser acompanhadas por qualquer pessoa com acesso à internet e muitas vezes são ministradas por instituições de renome.

Na lista elaborada pela EXAME.com, há cursos organizados por universidades de países como Estados Unidos, Holanda, Espanha e Colômbia. Confira 8 cursos recomendados a seguir:

 1° Como resolver problemas e tomar decisões de forma criativa

Complexo e incerto, o mundo atual exige escolhas rápidas e eficazes de qualquer profissional. Este curso ensina a tomar decisões de modo analítico, isto é, explorar os contornos do problema, aventar hipóteses e implementar a melhor solução disponível. A partir de diagramas, árvores e outras técnicas, o aluno consegue enxergar melhor o “desenho” do problema e encontrar uma chave inovadora e estratégica para resolvê-lo.

Acesso as aulas: www.edx.org

 2° Trabalho em equipe: um guia prático

A maioria das pessoas trabalha em grupo de forma meramente intuitiva, isto é, sem pensar muito sobre o assunto. Parar para refletir sobre tema, porém, ajuda a tornar a experiência mais agradável e eficiente. Este curso apresenta os diversos tipos de equipes, seus ciclos temporais e o que as torna altamente produtivas. Também há lições sobre como se tornar um participante mais ativo e resolver conflitos interpessoais

Acesso as aulas: www.edx.org

3° Aprendendo a aprender 

Técnicas de aprendizagem podem ser usadas para qualquer finalidade e em qualquer campo de atuação. O ponto de partida deste curso são os dois modos básicos de processamento de informações pelo cérebro. Em seguida, as aulas abordam temas como táticas de memorização e de retenção de assuntos difíceis. O objetivo é fornecer dicas pouco óbvias para absorver conhecimentos mais facilmente em qualquer contexto.

Acesso as aulas: pt.coursera.org

4° As habilidades essenciais para o ambiente de trabalho

Esta série de aulas ajudará você a desenvolver algumas das competências mais desejadas em um profissional atualmente, que vão muito além do preparo técnico oferecido na graduação. Há módulos sobre gestão do tempo, finanças, negociação, tomada de decisão, gerenciamento de projetos e comunicação, por exemplo.

Acesso as aulas: pt.coursera.org

5° Técnicas para gestão de projetos

Com base em estudos de caso, este curso apresenta princípios e ferramentas do gerenciamento de projetos. Desenvolvido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a metodologia PM4R (Project Management for Results) é a base conceitual para o conteúdo apresentado nas aulas.

Acesso as aulas: www.edx.org

6° Gestão da ansiedade antes de exames e apresentações

Este curso faz um “raio-X” da ansiedade: o que é, como surge e como se sustenta ao longo do tempo. Em seguida, são abordados os sintomas do problema e como usar a gestão dos próprios pensamentos para controlá-los. Há ainda um módulo especialmente voltado para administrar o seu comportamento em exposições orais, com base em técnicas de linguagem corporal. É preciso se cadastrar no site para ter acesso ao conteúdo.

Acesso as aulas: miriadax.ne

 7° Busca de emprego

Em tempos difíceis para a economia, a disputa por vagas de trabalho anda cada vez mais acirrada. Nesse ambiente de competição, ganham os mais qualificados – mas também quem usa as melhores técnicas para conquistar os recrutadores. Neste curso, você aprenderá a buscar emprego de forma ativa, elaborar um bom currículo, criar uma “marca” pessoal e usar as redes sociais para impulsionar as suas chances de contratação. É preciso se cadastrar no site para ter acesso ao conteúdo.

Acesso as aulas: miriadax.ne

 8° Impulsione sua empregabilidade

Nem uma sólida formação acadêmica e nem ótimas experiências profissionais garantem que você conseguirá uma posição no mercado de trabalho. Este curso apresenta formas de incrementar a sua empregabilidade, isto é, o conjunto de competências e qualidades pessoais que tornam um profissional mais atraente para as empresas. Entre outras lições, o aluno descobre como apresentar suas experiências profissionais da forma mais cativante possível para um recrutador.

Acesso as aulas: www.edx.org

18 a 31

7 dicas para trabalhar com publicidade

No último ano do colégio começa a pressão para a escolha de um curso universitário. Esse é um momento muito complicado para alguns jovens. Afinal, sua decisão naquele momento vai dar um rumo para sua vida profissional por, no mínimo, os próximos anos.

É por isso que antes de escolher um curso é importante buscar o máximo de informações possível. E, após estar na área, se aprimorar constantemente para permanecer com sucesso.

Confira algumas dicas:

  1. Entenda a diferença entre as habilitações de Comunicação Social: O curso de Comunicação Social é composto por 3 habilitações, sendo elas: Publicidade e Propaganda, Relações Públicas, e Jornalismo. Entenda o que cada área faz para não confundir a atuação das três.
  2. Saiba o que esperar da profissão: Um publicitário pode trabalhar em diversos ambientes. Seja em agências ou sendo o cliente, o importante é procurar entender e tentar até ver de perto como é o ambiente e o dia-a-dia do profissional. Para ser publicitário você não precisa ser o mestre no Photoshop e no Illustrator. Você pode se identificar mais com outras áreas como atendimento, planejamento, mídia, produção. São muitas, descubra o que te atrai mais.
  3. Avalie o seu aprendizado: Além do que aprende na faculdade, busque diversas fontes de informações que complementem seus estudos, participe de cursos extras, palestras, workshops, troque informações com outras pessoas.
  4. Estude as possibilidades de trabalho: Agência de publicidade não é o único local de trabalho para um publicitário. Você pode trabalhar em produtoras, veículos de comunicação e diversas empresas em departamentos de marketing e comunicação.
  5. Faça estágio: É a melhor forma de sentir o dia-a-dia de um publicitário. É uma experiência muito rica que pode te mostrar qual a área dentro da publicidade que mais te agrada.
  6. Tenha um portfólio: Depois de alguns trabalhos prontos, elabore um portfólio com o melhor que você tem. Isso é importante para as entrevistas pois poderá mostrar do que você é capaz.
  7. Busque o seu lugar e se mantenha firme: Depois que estiver no mercado, busque sempre se qualificar, esteja sempre atento às novidades. Assim, você conseguirá manter o seu lugar como publicitário dentro desse mercado tão competitivo.

 

POST-22

Dica de leitura: Do Caos à Criação Publicitária

A dica de livro de hoje é para aqueles que querem se aprofundar na criação publicitária. Para conhecer melhor esse universo indicamos “Do Caos à Criação Publicitária”, de João Anzanello Carrascoza.

O autor aborda a utilização de referências culturais durante o processo criativo. E explica que, quanto mais informações de universos culturais variados os profissionais acumularem, mais persuasivos e assertivos podem se tornar em suas criações.

O livro ainda exemplifica os recursos discursivos, como a paródia, a estilização, a paráfrase e o ready-made. Por fim, é aberta uma discussão sobre o plágio na publicidade.

Você pode encontra-lo em diversas livrarias. Leia e depois nos conte o que achou!

POST--07-(SNAPCHAT)

Vídeos online serão mais populares que redes sociais em menos de 5 anos

Há uns dois ou três anos a sua timeline do Facebook não era repleta de informações como é hoje, não é mesmo? A quantidade de fotos, vídeos e posts em forma de texto eram muito menores.

Hoje o Facebook encabeça o ranking de acesso no Brasil, representando 28% do trafego móvel. Porém, isso vai mudar. A tendência que vem sendo percebida nos últimos tempos é que o Facebook será substituído por sites e aplicativos de fotos e vídeos. A explicação está em conexões mais rápidas, o aumento de dispositivos com telas maiores disponíveis no mercado e o papel da mídia como provedora do conteúdo online.

Um aplicativo de vídeos que vem em uma impressionante crescente é o Snapchat. Hoje, 60% das pessoas de 13 a 34 anos que possuem smartphones já usam o Snapchat para trocar mensagens e ele desponta como o aplicativo com maior volume de imagens compartilhadas, deixando para trás o Facebook, Instagram e Whatsapp. As ações publicitárias por enquanto são mais comuns em outros países, como o caso da KFC Austrália que utilizou o Snapchat para divulgar o mais novo taco da rede, e o resultado foi o número de 3 mil visualizações em apenas 3 horas, ou como a Heineken que utilizou o aplicativo para dar pistas de um show em um evento trazendo assim, um conteúdo exclusivo e popular entre os jovens.

Segundo estudos, em 2020 a transmissão de vídeos irá corresponder a 55% de todo o tráfego de dados de redes móveis, com crescimento anual de 45% durante o período.

Conte com a Lord Publicidade na hora de criar estratégias para uma presença mais efetiva na internet.

POST--03-(FUTURO-DO-BRANDING)

O Futuro do Branding: 5 estratégias para o ambiente digital

A Internet é uma mídia muito democrática, e com tantas facilidades que ela nos proporciona no dia a dia, conseguir destaque nesse mercado não é tarefa fácil.

A marca, assim como no mercado “offline”, precisa ser forte e gerar empatia no consumidor. E, nesse contexto, entra a web participativa, que é a interação das pessoas com as marcas através das redes sociais, blogs e sites. O ponto principal dessa participação está no fato de que os consumidores querem uma resposta rápida para os seus problemas, ou ainda, comentam suas experiências ruins com grande número de pessoas. É por isso que os gestores de marketing e branding devem planejar bem as suas estratégias para acompanhar esse ritmo.

A marca na internet tem como principal característica criar experiência positiva e valorizar o usuário. Dessa forma, as empresas só sobrevivem na internet quando conseguem falar com seus consumidores de forma interativa. Mas para isso, é necessário criar uma estratégia de branding digital, ou de marketing digital cujo objetivo seja se relacionar com o consumidor.

Dentre as estratégias que podem ser utilizadas no ambiente digital, destacam-se:

1. Marketing de conteúdo nas redes sociais

Conteúdo relevante é o ponto principal para atingir um nível mais profundo no relacionamento com o cliente. Através de um conteúdo de qualidade você consegue compartilhar informações, contar sua história, benefícios e vantagens do seu produto, de uma forma mais atraente.

2. Site com essência da marca

O site deve oferecer um motivo relevante para que seja visitado pelo usuário. É um ambiente que precisa ter informações completas de seu produto ou serviço, e você também pode aproveitar para criar um blog com informações relevantes para troca de ideias com o público. Aproveite para colocar plugins sociais do facebook, twitter e google plus.

3. Marketing Viral

Uma estratégia que vem sendo muito utilizada no ambiente digital é o marketing viral. O intuito é criar um material multimídia que transmita algum tipo de sentimento aos usuários, para que seja rapidamente espalhado pela rede. O objetivo é promover seus benefícios e vantagens de uma maneira criativa e não interruptiva.

4. E-mail Marketing

Apesar de ser uma estratégia antiga, é uma ótima opção para uma comunicação segmentada e padronizada da sua marca, além de um custo muito menor.

5. Experiência de marca

Existem pessoas que consomem marcas e existem pessoas que querem viver a experiência da marca. Ações de lançamento de um produto são excelentes oportunidades para criar, no meio digital, uma experiência diferente, única, para o consumidor, fazendo com que o público grave ainda mais em sua cabeça determinada marca, exatamente pelo que ele viveu com ela em algum momento.

Diante de tudo isso, é importante ter consciência que as estratégias de marketing e branding digitais devem ser conciliadas com as tradicionais, pois uma comunicação integrada é muito mais benéfica à construção da imagem de uma marca.

POST---26-(DICAS-PARA-UMA-ESCRITA-MAIS-CLARA)

Dicas para uma escrita mais clara

Textos com palavras diferentes e consideradas requintadas, podem deixar o texto bonito, mas a clareza pode ficar de lado em alguns casos.

Para uma escrita ser considerada eficaz ela deve seguir três primórdios: ser simples, bem estruturada e direta.

A língua portuguesa nos permite usar seu extenso vocábulo em diversas situações, no entanto, na hora de escrever uma mensagem é importante pensar no que se quer transmitir e quem irá ler. Quanto mais objetiva, curta e clara, mais facilmente será recebida. Sendo assim, não é escrevendo pouco que você será claro e nem escrevendo muito que conseguirá passar toda sua mensagem. O segredo do sucesso na escrita? É simples! A técnica para ser objetivo e chegar no melhor resultado está em ler e reler quantas vezes for necessário.

Confira algumas dicas para facilitar esse processo:

  • Leia mais: A primeira dica é que não existe um bom escritor que não seja um bom leitor. Você pode até dominar as técnicas, mas isso não significa, necessariamente, que seu texto comunique bem. Um bom texto tem ideias e argumentos que só uma boa bagagem cultural é capaz de transmitir.
  • Pratique a escrita: Treine muito. Quanto mais escrever melhor ficará.
  • Pense no leitor: Para quem você escreve seu texto? Pense nisso antes de iniciar. Afinal é necessário saber quem está lendo para fazer uma boa escolha de palavras.
  • Defina seu objetivo: Saiba exatamente o que você quer informar. Faça primeiramente uma lista com todos os pontos que devem ser abordados e qual a informação mais importante a ser transmitida.
  • Escreva a primeira versão: Faça seu primeiro rascunho e coloque todas as ideias em ordem. Nessa hora não se preocupe, é apenas um rascunho para orientar a criação da primeira versão.
  • Tenha começo, meio e fim: Os textos precisam ter começo, meio e fim. É importante seguir cada uma das etapas: Introdução, desenvolvimento e conclusão. Parece óbvio, mas muitas pessoas se esquecem e, sem uma dessas fases, o texto ficará sem sentido.
  • Faça as correções necessárias: Chegou é a hora de organizar o rascunho, completar as informações, fazer as correções de coerência, coesão e gramaticais. Agora você tem na sua mão a primeira versão.
  • Revise: Leia novamente a primeira versão e certifique-se de que nada ficou para trás. Estando tudo certo, você chegou a versão final.
  • Preocupe-se com a estética: Formate o seu texto para que fique esteticamente agradável.

Pronto! Seguindo essas dicas, a sua mensagem ficará bem mais clara e compreensível. Mas o que é uma mensagem? Tudo que tenha um receptor. Pode ser um e-mail que você envia ao seu cliente, um artigo, um post nas mídias sociais, um trabalho de faculdade, entre outros.

Portanto, leia e aprenda mais. A leitura é uma excelente aliada para a composição de melhores textos. Aqui no nosso blog, frequentemente você contra dicas de livros que podem despertar ideias e um vocabulário mais extenso.

POST---22-(DESIGN-THIKING)

Afinal, o que é Design Thinking?

O Design Thinking é uma forma de abordagem muito utilizada por designers e que foi adaptada para as empresas. O foco é a experiência do consumidor durante a busca por soluções de seus problemas.

Literalmente, o termo significa “pensamento do design” ou “pensar como designer”. Mas o que isso quer dizer na prática? São ações criadas para trazer estética a produtos e serviços e também bem-estar na vida das pessoas.

A prática foi inserida no mundo dos negócios com o intuito de inovar na hora de entregar um produto ou serviço aos clientes. Tim Brown, CEO da Ideo, empresa norte-americana consultora em design popularizou o termo pois acredita que independente da área, todos deveriam pensar como designers para enxergar todos os aspectos, observando aspectos cognitivos, emocionais e estéticos.

Dessa forma, o design thinking é um estudo, onde deve ser levado em consideração todas as informações que podem trazer experiências marcantes para o ser humano. O processo comumente é realizado através de um brainstorm com uso de post-its para que todas as ideias possam ser colocadas no campo de visão. As etapas geralmente englobam: imersão, ideação, prototipação e desenvolvimento. Nesse sentido, inicialmente é fundamental entender o ambiente e entrar dentro dele para conhecer todos os seus aspectos. Posteriormente então, começará o processo de ideias, montagem de um plano, desenvolvimento e aplicação do projeto.

Ficou interessado? Indicamos a leitura do livro “Design Thinking – Uma Metodologia Poderosa para Decretar o Fim das Velhas Ideias” de Tim Brown para aprofundar no tema.

POST---19-(DICA-DE-LEITURA)

Neuromarketing na Redação Publicitária

Hoje vamos dar uma dica de livro focado em redação. A neurociência e o neuromarketing são temas muito discutidos e com ainda maior força nos últimos anos. Isso devido a grande necessidade de se entender o que se passa na cabeça do consumidor levando-o a escolha de determinado produto/serviço.

A indicação para conhecer melhor esse universo é o livro “Neuromarketing aplicado à Redação Publicitária”, da autora Lilian S. Gonçalves. O livro aborda as descobertas feitas pelo neuromarketing e como argumentar utilizando suas aplicações nos anúncios publicitários, focadas na redação para atingir de forma certeira o subconsciente do seu público.

O livro auxilia no desenvolvimento de ações de marketing para aqueles que precisam definir melhor quem é o target, mapear comportamento do público e ainda saber qual a argumentação correta. A autora explica ainda que as respostas para as perguntas do marketing 3.0 estão na cabeça do consumidor.

Aqui vão algumas dicas:

  • Desperte os Neurônios-Espelho: Quando em suas campanhas o seu produto é consumido por outras pessoas, automaticamente quem vê também irá querer experimentar. Eles são o motivo pelo qual imitamos sem querer o comportamento dos outros.
  • Enalteça os marcadores somáticos: É necessário criar sensações únicas em seu consumidor. Pequenas ações marcam o seu público, desde a forma que foi atendido pelo vendedor, um cheiro que lembre a loja ou até mesmo uma temperatura. Basta descobrir quais são e enaltecê-las.
  • Injeção de dopamina: Essa é relativa a sensação que sentimos ao comprar algo. Permite que o corpo tenha uma similaridade com estar dopado e os neurônios se agitam mais.
  • Eficácia do Marketing Sensorial: O som do motor de um carro, o cheiro de um sanduíche, isso marca e desperta uma determinada emoção. E os textos quando descrevem perfeitamente seu uso, suas vantagens e transmitem a mesma sensação, conseguem atingir de forma certeira o seu target, ativando também os marcadores somáticos.

Além dessas dicas, ela ainda cita algumas características do texto publicitário, como discurso deliberativo, coesão textual, associação semântica, figuras de linguagem, uso da palavra “você”, precificação com algarismos 9 e apelos call-to-action.

Esse livro você já consegue encontrar em diversas livrarias. Leia e depois nos conte o que achou!

POST---20

Minha empresa precisa de um site?

Hoje em dia, com a importância do Facebook, estamos ouvindo muito por aí a frase: “Não quero mais ter um site, minha fanpage agora já é suficiente”. Será que é mesmo suficiente?

Nenhuma mídia substitui a outra, elas devem ser complementares. E isso faz parte da análise das estratégias de marketing digital, que deve compreender todos os espaços, assim como o público que pretende atingir e qual a melhor plataforma para colocar as informações que este público procura.

As mídias sociais são o ambiente onde as pessoas conversam, interagem, se relacionam em torno de algo em comum, é onde se constrói a intimidade. É através das interações que acontecem nelas que as pessoas vão parar no site de um empresa, que por sua vez, é lá que as marcas mostram sua credibilidade e sua estrutura.

Sendo assim, o site faz parte de uma estratégia maior que engloba diversos pontos de contatos com o público e nenhum desses pontos deve ser descartado.

Confira abaixo 5 motivos para você entender melhor a importância de ter um site:

  1. Posicione-se para os residentes da sua área: Os algoritmos do Google “leem” os nomes dos lugares no conteúdo de um site para mostrá-lo aos residentes próximos a você. Isso significa que a sua pequena empresa pode ter a mesma presença que as grandes, desde que o seu site possua SEO, links relevantes e um conteúdo de qualidade. Assim, o seu rankeamento será muito melhor.
  2. Construa uma comunidade: A utilização de fóruns e blogs dentro de um site são excelentes alternativas para criar uma conexão com os seus visitantes. Além disso, espaços para pesquisas de opinião e comentários são muito úteis para descobrir melhor as particularidades das necessidades do seu público.
  3. Crie conteúdo de qualidade: Artigos, vídeos e todo tipo de conteúdo relevante mostra ao seu público que você possui grande conhecimento em sua área de atuação, e isso, consequentemente, irá fazer com que te procurem por saberem que a empresa é perita no assunto em questão.
  4. Tenha o seu negócio aberto 24 horas por dia: Diferente do típico horário comercial de 8h às 18h, na internet o seu site está acessível a qualquer hora em todos os dias do ano, mostrando informações do seu produto/serviço e sobre sua empresa.
  5. Atualize seu portfólio a qualquer momento: Na internet você pode alterar o seu portfólio rapidamente e sem os gastos de um material impresso permitindo que os seus serviços estejam sempre atualizados, o que atrai mais clientes.

A lista é enorme e ainda vamos falar muito disso por aqui. Aproveite o assunto e dê uma conferida em nosso site, que está a nossa cara.